Conecte-se conosco

Estado

Ausência do atual Procurador-Geral de Justiça de Goiás na composição da mesa de diplomação dos eleitos mostra distanciamento com Caiado

Benedito Torres, atual chefe do Ministério Público Goiano, não integrou a mesa de autoridades no evento de diplomação dos eleitos em Goiás. Representantes do judiciário, legislativo e OAB fizeram-se presentes

Publicado

em

Foto: Paulo José

A ausência do atual Procurador-Geral de Justiça de Goiás, Benedito Torres, na composição da mesa de autoridades presentes no evento de diplomação dos eleitos no Estado nas últimas eleições chamou a atenção dos convidados e da imprensa em geral. Torres passou pelo local, mas não teria permanecido até o final da cerimônia.

Compuseram a mesa, além do governador eleito, Ronaldo Caiado, o presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador Gilberto Marques Filho, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Vitti, Desembargador Walter Carlos Lemes, do TRE e o presidente da Ordem dos Advogados, Seção Goiás, Lúcio Flávio, entre outras autoridades.

A ausência de Benedito Torres foi sentida pelos convidados e os burburinhos em torno dela foram os mais variados. O que prevaleceu, no entanto,  foi de que a ausência do Procurador-Geral em tão concorrido evento seria consequência do distanciamento entre o governador eleito, Ronaldo Caiado, e o chefe do Ministério Público goiano, que se tornou ainda mais evidente depois da cassação do senador Demóstenes Torres, irmão do PGJ, e também pela proximidade de Benedito com o grupo do ex-governador Marconi Perillo.

Em nota, a assessoria de comunicação do Ministério Público de Goiás informou que nas solenidades do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), quem representa o MP é o procurador-regional eleitoral, Alexandre Moreira Tavares.

 

Mais lidas