Conecte-se conosco

Brasil

Baldy deve deixar secretaria de Dória para assumir ministério de Bolsonaro

Publicado

em

Para acomodar os partidos de centro, o governo Jair Bolsonaro (PSL) deve recriar dois ministérios – e para um deles, já circula um nome nos corredores do Congresso: Alexandre Baldy, atual secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, do governo Dória (PSDB). Se confirmada, será a primeira nomeação de ministro por indicação partidária no governo Bolsonaro, o que vai contra as promessas de campanha do presidente.

Não é inteligente você ver uma força enorme de uma lado e querer ser inimigo dela, sendo que você pode ser aliado”, afirmou a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP) à reportagem. Ela confirmou que o governo aceitou “a questão dos ministérios”, mas disse que não podia revelar o nome do indicado. Dois líderes do centrão (que reúne siglas influentes como MDB, PRB, PP e Solidariedade) e um da oposição falaram em Baldy para o ministério das Cidades, que deve voltar a existir.

Também está em perto de ser recriada a pasta da Integração Nacional, distanciando-se dos 15 ministérios prometidos antes da posse. Hoje, já há 22. A atual composição da Esplanada tem nomes vinculados a outros partidos, além do PSL do presidente. Mas tanto as siglas, quanto o governo afirmam que as escolhas foram de Bolsonaro.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Coordenador da operação Lava-Jato na PGR deixa o cargo

José Alfredo de Paula, pediu exoneração do cargo e deixou a função na última sexta-feira, a dois meses do fim da atual gestão

Publicado

em

Por

O coordenador da força-tarefa da Lava-Jato na PGR, José Alfredo de Paula Foto: Valter Campanato / Valter Campanato/Agência Brasil

Em mais um capítulo na sucessão da Procuradoria-Geral da República ( PGR ), o coordenador do grupo de trabalho da Operação Lava-Jato na PGR,José Alfredo de Paula , pediu exoneração do cargo e deixou a função na última sexta-feira, a dois meses do fim da atual gestão da procuradora-geral, Raquel Dodge .

Interlocutores do procurador afirmam que ele estava insatisfeito com o ritmo lento das investigações, emperradas devido ao excesso de centralização do gabinete de Raquel Dodge, e com a tentativa de recondução fora da lista tríplice.
ATRITOS

Procuradores reclamam que a PGR tem sido lenta, na atual gestão, no andamento das investigações de autoridades com foro. A queda na assinatura de acordos de delação premiada também ocorreu. De janeiro até 31 de maio deste ano, segundo o gabinete do ministro Edson Fachin, do STF, a PGR instaurou apenas três inquéritos no âmbito da Lava-Jato.

Continue Lendo

Brasil

A Terra é plana para cerca de 11 milhões de brasileiros, aponta pesquisa do Datafolha

Pesquisa entrevistou 2.086 pessoas (de 16 anos ou mais) em 103 cidades do País.

Publicado

em

Por

De acordo com uma pesquisa do Instituto Datafolha realizada entre os dias 4 e 5 de julho, 7% dos brasileiros (cerca de 11 milhões de pessoas) acreditam que a Terra é plana.

A pesquisa entrevistou 2.086 pessoas (de 16 anos ou mais) em 103 cidades do País. Entre elas, 90% afirmaram que a Terra é redonda. Ou seja, o número de pessoas que apoiam o fato científico do planeta ser uma esfera ainda é grande, mas o número de terraplanistas vem crescendo. Principalmente entre os mais jovens, menos escolarizados e cristãos.

O levantamento aponta que a ideia do terraplanismo é apoiada por 7% dos brasileiros com menos de 25 anos. A porcentagem cai para 4% na faixa etária entre 35 e 44 anos.

Outro fator importante é a escolaridade. Segundo a pesquisa, das pessoas que acreditam que a Terra é plana, 10% possui apenas o ensino fundamental, 6% concluíram o ensino médio, e 3% o ensino superior.

No que diz respeito a religião, os cristãos são maioria entre os terraplanistas. A pesquisa apontou católicos e evangélicos representam 8% e 7%, respectivamente, dos brasileiros que acreditam na Terra plana. Entrevistados de outras crenças mostraram números diferentes. Como os adeptos de religiões afro-brasileiras como candomblé e umbanda, por exemplo. Deles, 0% se disseram terraplanistas.

A margem de erro máxima da pesquisa é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Continue Lendo