Conecte-se conosco

Brasil

Batalha virtual após postagem de Bolsonaro

Publicado

em

A quarta-feira de cinzas abriu uma das maiores disputas entre grupos políticos do país: os defensores de Bolsonaro atacam o carnaval por conta de uma suposta pornografia divulgada pelo líder do PSL.

Os contrários acusam o presidente de ser imoral. Motivo: Jair Bolsonaro (PSL) postou vídeo na sua conta na rede social Twitter (mais elitista, usada por intelectuais, formadores de opinião, jornalistas e artistas, dentre outros) em que um folião enfia o dedo no ânus enquanto outro urina (golden shower) no companheiro. A cena teria sido gravada em um bloco de carnaval paulista na última segunda-feira, 4. Bolsonaro usa o audiovisual para criticar a distorção do “espírito momesco”. Em nota, ele nega que teve intenção de atacar o carnaval, como festa brasileira, ainda que profana.

TREND TOPICS

Nas redes, a hashtag  #ImpeachmentBolsonaro é um dos trend topics, já que os adversários supõem que o ato seria uma quebra de decoro.   Até a noite de quarta-feira, dois milhões de pessoas viram as imagens fortes.

O conteúdo erótico explícito já foi censurado pela rede social. Miguel Reale Júnior, penalista destacado no cenário nacional, mas ligado ao PSDB (adversário de Bolsonaro), disse que a situação caracteriza quebra de decoro e motiva pedido de impeachment. Mas a maioria de juristas não entende que o ato seja tão grave. É mera liberalidade crítica.

O fato é: carnaval é (sempre foi) excesso. Está em sua origem de que ocorre um “adeus” a “carne”.

Logo, cometeram excessos tanto o folião quanto o presidente. Mas nada que a temporada da quaresma não  reconcilie com humildade.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Revelada lista de beneficiários de empréstimos do BNDES para compra de jatinhos. Confira

Publicado

em

O Antagonista, site de notícias e opiniões, revelou a lista de beneficiários de empréstimos do BNDES para a compra de jatinhos da Embraer engloba banqueiros, empresários, advogados e artistas.Entre 2009 e 2014, o banco liberou R$ 1,9 bilhão para 134 operações de crédito a juros subsidiados, que variaram de 2,5% a 8,7% ao ano.

A área técnica do BNDES calcula em R$ 700 milhões o prejuízo com o programa. destaque para Rubens Menin, da MRV Engenharia, e Flávio Rocha, da Riachuelo.

Menin, que se prepara para lançar a CNN Brasil, é conhecido apoiador do PR. Rocha, por outro lado, defendeu a candidatura de Jair Bolsonaro.

Também está na relação do BNDES o empresário Mario Celso Lopes, ex-sócio dos irmãos Joesley e Wesley Batista, que também se aproveitaram da política adotada pelos governos Lula e Dilma.

MCL, como é conhecido, foi alvo da Operação Greenfield, que investiga o financiamento do BNDES à Eldorado Celulose. Entre 2010 e 2012, ele adquiriu duas aeronaves da Embraer a juros subsidiados.

Outro beneficiário foi o empresário Artur Figueiredo, diretor de fundos da corretora Planner, também investigada na Greenfield.

Aproveitaram o programa do BNDES o advogado Pedro H. Xavier, que defendeu o ex-diretor da Galvão Engenharia Erton Medeiros, e o doleiro Carlos Habib Chater, parceiro de Alberto Youssef e dono do Posto da Torre, marco zero da Lava Jato.

O BNDES financiou ainda os jatinhos de Wilson Quintella, da Estre Ambiental, outro preso na Lava Jato, e de Valdir Piran, da Piran Participações, detido na Operação Ararath, que revelou esquema de mensalinho na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Na longa lista de empréstimos para a compra de aeronaves consta também a Confederal Vigilância, do ex-senador Eunício Oliveira.

Continue Lendo

Brasil

EXTRA | Bolsonaro quer mudança histórica com drástica queda de juros para crédito imobiliário

Publicado

em

Caixa fará mudança histórica no crédito imobiliário, diz Bolsonaro

A intenção é reduzir em até 31,5% os juros dos financiamentos imobiliários

O presidente Jair Bolsonaro informou que anunciará na próxima terça-feira (20) mudanças nas regras de concessão de crédito imobiliário.

Em live nas redes sociais, ele disse que a medida preparada pela Caixa Econômica Federal “mudará a vida dos brasileiros” e deve estimular a geração de emprego no país.

“A Caixa vai anunciar uma coisa que mudará a vida dos brasileiros. A gente vai mudar a história do crédito imobiliário”, disse.

A intenção do Palácio do Planalto é anunciar uma redução de até 31,5% dos juros dos financiamentos imobiliários

Continue Lendo