Conecte-se conosco

Brasil

Bolsonaro assina termo de cooperação para Fórmula 1 ter corrida no Rio de Janeiro em 2020

Publicado

em

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), assinou na manhã de hoje um termo aditivo de cooperação com a iniciativa privada que levará a Fórmula 1 ao Rio de Janeiro em 2020.

De acordo com Bolsonaro, o novo autódromo do Rio será construído no bairro de Deodoro, na zona oeste da cidade, em “seis ou sete meses, sem dinheiro público”.

A vinda da Fórmula 1 para o Rio de Janeiro deve atrair até sete mil empregos para o estado, disse o presidente.

“A direção da Fórmula 1 decidiu manter um Grande Prêmio no Brasil. No entanto, São Paulo se tonou inviável pela causa da participação pública no evento e a dívida existente lá. O novo autódromo será construído em seis ou sete meses. O setor hoteleiro ficará feliz, a economia do estado também, já que serão até sete mil empregos gerados. Bom para o Rio de Janeiro e para o Brasil”, afirmou.

O anúncio foi feito ao lado do governador do estado, Wilson Witzel (PSC), e do prefeito da capital fluminense, Marcelo Crivella (PRB).

Questionado sobre uma audiência pública na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro que vai debater a viabilidade da construção do autódromo, Crivella não quis comentar as falas de ambientalistas sobre as obras que serão realizadas na região da Floresta do Camboatá.

O vereador Renato Cinco (PSOL), que preside a Comissão de Meio Ambiente na Câmara, visitou o local e constatou que aquela é uma área Remanescente de Mata Atlântica. “Importante os cariocas perceberem que não é meia dúzia de árvores que a prefeitura quer cortar para fazer o autódromo. Eles querem destruir uma floresta, em pleno processo de regeneração que precisa ser preservada”, afirmou. Bolsonaro não quis comentar a afirmação.

Witzel comentou a audiência pública. “A câmara que quer botar restrição. Estamos trabalhando, já que não há problemas ambientais. Inclusive, será muito melhor, já que o entorno terá movimento e será monitorado”, disse. Bolsonaro afirmou que se aquela região segue preservada, isto se deve à presença do Exército na Vila Militar, que fica no mesmo bairro. “Não fosse o Exército, aquela região já teria sido ocupada”, disse o presidente. Crivella explicou que o edital de licitação terá uma empresa vencedora em 45 dias.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Coordenador da operação Lava-Jato na PGR deixa o cargo

José Alfredo de Paula, pediu exoneração do cargo e deixou a função na última sexta-feira, a dois meses do fim da atual gestão

Publicado

em

Por

O coordenador da força-tarefa da Lava-Jato na PGR, José Alfredo de Paula Foto: Valter Campanato / Valter Campanato/Agência Brasil

Em mais um capítulo na sucessão da Procuradoria-Geral da República ( PGR ), o coordenador do grupo de trabalho da Operação Lava-Jato na PGR,José Alfredo de Paula , pediu exoneração do cargo e deixou a função na última sexta-feira, a dois meses do fim da atual gestão da procuradora-geral, Raquel Dodge .

Interlocutores do procurador afirmam que ele estava insatisfeito com o ritmo lento das investigações, emperradas devido ao excesso de centralização do gabinete de Raquel Dodge, e com a tentativa de recondução fora da lista tríplice.
ATRITOS

Procuradores reclamam que a PGR tem sido lenta, na atual gestão, no andamento das investigações de autoridades com foro. A queda na assinatura de acordos de delação premiada também ocorreu. De janeiro até 31 de maio deste ano, segundo o gabinete do ministro Edson Fachin, do STF, a PGR instaurou apenas três inquéritos no âmbito da Lava-Jato.

Continue Lendo

Brasil

A Terra é plana para cerca de 11 milhões de brasileiros, aponta pesquisa do Datafolha

Pesquisa entrevistou 2.086 pessoas (de 16 anos ou mais) em 103 cidades do País.

Publicado

em

Por

De acordo com uma pesquisa do Instituto Datafolha realizada entre os dias 4 e 5 de julho, 7% dos brasileiros (cerca de 11 milhões de pessoas) acreditam que a Terra é plana.

A pesquisa entrevistou 2.086 pessoas (de 16 anos ou mais) em 103 cidades do País. Entre elas, 90% afirmaram que a Terra é redonda. Ou seja, o número de pessoas que apoiam o fato científico do planeta ser uma esfera ainda é grande, mas o número de terraplanistas vem crescendo. Principalmente entre os mais jovens, menos escolarizados e cristãos.

O levantamento aponta que a ideia do terraplanismo é apoiada por 7% dos brasileiros com menos de 25 anos. A porcentagem cai para 4% na faixa etária entre 35 e 44 anos.

Outro fator importante é a escolaridade. Segundo a pesquisa, das pessoas que acreditam que a Terra é plana, 10% possui apenas o ensino fundamental, 6% concluíram o ensino médio, e 3% o ensino superior.

No que diz respeito a religião, os cristãos são maioria entre os terraplanistas. A pesquisa apontou católicos e evangélicos representam 8% e 7%, respectivamente, dos brasileiros que acreditam na Terra plana. Entrevistados de outras crenças mostraram números diferentes. Como os adeptos de religiões afro-brasileiras como candomblé e umbanda, por exemplo. Deles, 0% se disseram terraplanistas.

A margem de erro máxima da pesquisa é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Continue Lendo