Conecte-se conosco

Brasil

Caiado desarma estratégia que prejudicaria Entorno do DF e Goiás

Publicado

em

Um movimento de Ronaldo Caiado (DEM) no tabuleiro e foi desarmada uma articulação que prejudicaria Goiás: a criação da região metropolitana do Distrito Federal.

A questão é complexa: Caiado propôs nesta terça-feira, 23, ao ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) a retomada da Lei Complementar n. 94/1998. Esta norma federal criou a Região Integrada do Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE). Ocorre que jamais o Governo Federal colocou em prática a RIDE.

Ao contrário, de forma injusta, permitiu que fosse criado um Fundo Constitucional para o Distrito Federal, ignorando, assim, os princípios regionais da Lei Complementar e Constituição Federal que pregam a correção dos desequilíbrios regionais. Pois bem, o fundo do DF agravou a diferença entre Brasília e cidades limítrofes, já que entrega quase R$ 20 bilhões anuais ao DF, um orçamento equivalente ao do Estado de Goiás.

A Capital Federal é hoje uma ilha da fantasia enquanto algumas cidades do Entorno são  um inferno social. Não bastasse, existe ainda o Governo do DF, que tributa e guarda bilhões em seu orçamento.

A criação da região metropolitana – defendida pelo governador do DF e alguns tucanos adversários de Caiado –  não resolve o problema. Antes disso: piora. Não se fala, por exemplo, em corrigir esta distorção que manda um caminhão de recursos para o DF e nada para o Entorno.

E com este mecanismo, de incorporar o Entorno ao DF, uma das consequências da medida provisória relatada no Congresso, o próximo passo seria a entrega de Goiás para o DF.

Perderíamos cidades históricas como Pirenópolis, Formosa e Luziânia e uma região com um dos maiores potenciais de crescimento do Brasil.

O que Caiado fez? Foi no Governo Federal e exigiu que os dispositivos da RIDE sejam retirados do papel e colocados em prática. É o caso da criação do Conselho de Administração do Entorno.

Em tempo: Caiado tem contado com a ajuda do deputado federal José Nelto (Podemos), relator da MP na Câmara dos Deputados, e do secretário de governo Ernesto Roller, ex-prefeito de Formosa e que conhece como poucos os detalhes da região.

O que realmente o Entorno precisa? De um fundo orçamentário fixo, que venha do Governo Federal, já que Brasília tem uma dotação bilionária.

Se a raiz da norma da RIDE é corrigir desigualdades sociais, elas não serão corrigidas sem a equalização dos recursos.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Revelada lista de beneficiários de empréstimos do BNDES para compra de jatinhos. Confira

Publicado

em

O Antagonista, site de notícias e opiniões, revelou a lista de beneficiários de empréstimos do BNDES para a compra de jatinhos da Embraer engloba banqueiros, empresários, advogados e artistas.Entre 2009 e 2014, o banco liberou R$ 1,9 bilhão para 134 operações de crédito a juros subsidiados, que variaram de 2,5% a 8,7% ao ano.

A área técnica do BNDES calcula em R$ 700 milhões o prejuízo com o programa. destaque para Rubens Menin, da MRV Engenharia, e Flávio Rocha, da Riachuelo.

Menin, que se prepara para lançar a CNN Brasil, é conhecido apoiador do PR. Rocha, por outro lado, defendeu a candidatura de Jair Bolsonaro.

Também está na relação do BNDES o empresário Mario Celso Lopes, ex-sócio dos irmãos Joesley e Wesley Batista, que também se aproveitaram da política adotada pelos governos Lula e Dilma.

MCL, como é conhecido, foi alvo da Operação Greenfield, que investiga o financiamento do BNDES à Eldorado Celulose. Entre 2010 e 2012, ele adquiriu duas aeronaves da Embraer a juros subsidiados.

Outro beneficiário foi o empresário Artur Figueiredo, diretor de fundos da corretora Planner, também investigada na Greenfield.

Aproveitaram o programa do BNDES o advogado Pedro H. Xavier, que defendeu o ex-diretor da Galvão Engenharia Erton Medeiros, e o doleiro Carlos Habib Chater, parceiro de Alberto Youssef e dono do Posto da Torre, marco zero da Lava Jato.

O BNDES financiou ainda os jatinhos de Wilson Quintella, da Estre Ambiental, outro preso na Lava Jato, e de Valdir Piran, da Piran Participações, detido na Operação Ararath, que revelou esquema de mensalinho na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Na longa lista de empréstimos para a compra de aeronaves consta também a Confederal Vigilância, do ex-senador Eunício Oliveira.

Continue Lendo

Brasil

EXTRA | Bolsonaro quer mudança histórica com drástica queda de juros para crédito imobiliário

Publicado

em

Caixa fará mudança histórica no crédito imobiliário, diz Bolsonaro

A intenção é reduzir em até 31,5% os juros dos financiamentos imobiliários

O presidente Jair Bolsonaro informou que anunciará na próxima terça-feira (20) mudanças nas regras de concessão de crédito imobiliário.

Em live nas redes sociais, ele disse que a medida preparada pela Caixa Econômica Federal “mudará a vida dos brasileiros” e deve estimular a geração de emprego no país.

“A Caixa vai anunciar uma coisa que mudará a vida dos brasileiros. A gente vai mudar a história do crédito imobiliário”, disse.

A intenção do Palácio do Planalto é anunciar uma redução de até 31,5% dos juros dos financiamentos imobiliários

Continue Lendo