Conecte-se conosco

Mundo

Cineasta ucraniano Oleg Sentsov pode morrer, afirma sua prima

Publicado

em

Foto: Divulgação

Oleg Sentsov, o cineasta ucraniano preso na Rússia que encerrou esta semana uma greve de fome de 145 dias, pode morrer em razão do longo período de privação, declarou nesta terça-feira (16) uma prima em coletiva de imprensa, em Kiev.

A administração penitenciária da região russa onde Oleg Sentsov está preso disse nesta terça em um comunicado que seu estado de saúde “não se deteriorou”.

“Abandonar uma greve de fome é um processo muito complicado. Ninguém pode dizer neste momento que Oleg ficará bem. A situação é muito, muito grave”, considerou Natalia Kaplan.

A saúde de Sentsov, de 42 anos, foi “severamente afetada” por sua greve de fome, enfatizou Kaplan. “Quase todos os seus órgãos foram severamente afetados”, acrescentou, citando problemas no fígado, no coração e no cérebro.

“Suas últimas cartas são muito pessimistas” e ele “escreveu um testamento para pedir que seus filhos não fossem abandonados”.

Oleg Sentsov, natural da península ucraniana da Crimeia anexada pela Rússia em 2014, está preso em Labytnangi, além do Círculo Polar Ártico.

Detido em sua casa em maio de 2014, este pai de dois filhos foi condenado em agosto de 2015 a 20 anos de prisão por “terrorismo” e “tráfico de armas” após um julgamento denunciado como “stalinista” pela Anistia Internacional.

Ele iniciou a greve de fome para exigir a libertação de todos os “prisioneiros políticos” ucranianos detidos na Rússia, antes de encerrá-la para evitar ser alimentado à força.

Os países do G7, assim como muitas personalidades do mundo cultural, pediram a libertação de Oleg Sentsov.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

NASA emite alerta que mega asteroide na direção da Terra tem chegada prevista para dia 3 de Outubro

Desvio na rota pode fazer com que asteroide colide com o planeta terra: o que poderia significar o fim da espécie humana. No momento não há risco de colisão.

Publicado

em

Por

O setor de rastreamento da NASA informou que um asteroide de 340m de diâmetro e 55 milhões de toneladas está a caminho da Terra, com chegada prevista para 3 de outubro. O risco de cataclismo é baixo, mas caso o asteroide saia de sua rota e entre no planeta, sua força destrutiva será igual a 2.700 megaton — para se ter ideia, a bomba de Hiroshima tinha entre 13 e 18 quiloton.

Chamado de FT3, o asteroide será o primeiro de 165 aproximações esperadas pela NASA entre 2019 e 2116. Com o tempo será possível determinar se as possibilidades de colisão irão aumentar ou diminuir. Caso entrasse na atmosfera terrestre, o FT3 ganharia uma velocidade de 45.500 km/h.

O asteroide é uma rocha espacial que circunda o Sol dentro do cinturão entre Marte e Júpiter. A NASA vem monitorando sua rota desde 2007 e diz que há 99,9999908% de chances dele não acertar à Terra.

Potencialmente, no caso da mudança de rota dias antes de uma suposta colisão, pouco poderia ser feito. “Um asteroide em uma trajetória de impacto na Terra não poderia ser abatido nos últimos minutos ou mesmo horas antes do impacto”, afirma a agência.

Basta esperar e torcer para que o FT3 siga seu curso normal.

Continue Lendo

Mundo

Trump recua em retórica contra Irã e se diz aberto a acordo

Publicado

em

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump afirmou neste sábado que aplicaria novas sanções ao Irã, mas também se disse disposto a um acordo para ajudar a castigada economia do país, em um aparente movimento para diminuir as tensões desde a derrubada de um drone americano nesta semana pela república islâmica.

Continue Lendo