Conecte-se conosco

Agenda

Festival de Ópera começa com obra de Mascagni

Publicado

em

Começa nesta sexta-feira, 17, o Festival de Ópera de Goiânia (Fogo), que tem início com a apresentação da “Cavalleria Rusticana” (1890), obra de Pietro Mascagni.

As apresentações ocorrem no Teatro do Baliseu França. O evento reúne cantores, coro e orquestra em torno de grande espetáculo. “Cavalleria Rusticana” (1890) será apresentada pela primeira vez no Estado. Pietro Mascagni, o autor, compôs esta ópera aos 27 anos. É um virtuose da história da música.

“Cavalleria Rusticana” consegue reunir um grande número de passagens de músicas famosas, inseridas em filmes de Hollywood (“O Poderoso Chefão”, anime “Samurai X”, dentre outros) e novelas “Terra Nostra” e “Sangue do meu sangue”.

O Festival de Ópera de Goiânia (Fogo) terá duas apresentações – duas na sexta-feira e sábado e outra nos dias finais deste mês e início de junho. “Cavalleria Rusticana”, que inaugura o festival, é uma obra densa que se filia ao verismo – uma escola literária que teve grande influência da filosofia positivista e do realismo. Tal corrente trata das coisas pitorescas da vida, reais, sensuais, violentas, agressivas e apaixonadas.

A produção do festival de ópera é da Universidade Federal de Goiás (UFG) e da Prefeitura de Goiânia, com apoio do Governo de Goiás. Conta com o trabalho de centenas de pessoas imbuídas em produzir cultura e civilizar o estado. Coro Sinfônico Jovem de Goiás e Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás se juntam aos cantores Poliana Alves, Helenes Lopes, Patrícia Mello, Jadson Alvares e Sara Veras em uma experiência inédita no estado.   A direção cênica é assinada por Jônatas Tavares.

Sob a regência de Eliel Ferreira, a execução dá prosseguimento a um histórico difícil (mas corajoso) de montagem de dramas musicais no Estado.

Goiás sempre se destacou no universo erudito por meio dos concertos e performances dos solistas, mas há duas décadas tem aprimorado apresentações sinfônicas e operísticas.

No ano passado, a Capital foi sede do 1º Festival Internacional de Ópera (Fiog), em que foram apresentados alguns clássicos como “La Bohème” (1896), obra prima de Puccini. Em 2017, a Filarmônica apresentou “Carmen” (1875), de Georges Bizet.

Na virada da década, a capital sediou duas edições do Goiânia Ópera Festival, sendo que nesta última edição, realizada em maio de 2011, foram apresentados obras mais reservadas como “A Loteria do Diabo – Comédia Mágica Portuguesa” (1858), de  Casimiro Júnior, ou hits como “Madame Butterfly” (1904).

Em 2008, o mesmo festival trouxe para os palcos da capital “Cosi fan Tutte” (1790), de W. A Mozart.

Tais apresentações carecem de um palco profissional, que possibilite a criação dos cenários, a encenação adequada da ópera e a acomodação de orquestras. Mas é sempre válida a experiência auditiva e a interpretação dos cantores e instrumentistas.

Serviço

Teatro Basileu França

Quando: 17 e 18 de maio (sexta e sábado) de 2019, Hora: 20h

Ingresso: R$ 10

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas