Conecte-se conosco

Estado

Governo anuncia mais rigor na fiscalização para evitar queda na vazão do Meia Ponte

Vazão na bacia do Rio Meia Ponte chegou a 2.324 litros por segundo na manhã de domingo (08/09), abaixo da média registrada desde 14 de agosto (2.700 l/s). Ao meio-dia, foi registrado início de recuperação, com 2.887 l/s

Publicado

em

Imagens colhidas pelas equipes de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e Polícia Militar flagram produtores com uso de irrigação durante o dia, o que é proibido: a partir de agora, os que forem alcançados com práticas irregulares serão penalizados por meio de lacre e até apreensões de bombas

A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) do Governo de Goiás intensificou a fiscalização, neste final de semana, para reverter a queda da vazão do Rio Meia Ponte, que chegou, na manhã deste domingo (08/09), a 2.324 litros por segundo, abaixo da média registrada desde 14 de agosto deste ano (2.700 l/s). Em nota, a pasta informa que “foram tomadas providências enérgicas para a retomada dos níveis que permitem manter a estabilização verificada nos últimos 23 dias”. Ao meio-dia, foi registrado um início de recuperação, com 2.887 l/s.

A Semad informa que a fiscalização continuará intensa e ainda mais rigorosa, com a participação ativa das equipes da própria secretaria e da Polícia Militar (PMGO). “Os que forem alcançados com práticas irregulares serão penalizados com o lacre e até apreensões de bombas”, diz a nota. “O Governo de Goiás faz um veemente alerta aos produtores que utilizam irrigação para não efetuá-la durante o dia e atenderem estritamente aos limites da outorga reduzida em 50%”, afirma o texto. “É preciso autorresponsabilidade de todos. Agir à margem da lei constitui infração e crime ambiental passível de severas punições”, alerta.

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, as ações vão recrudescer para que a média da vazão do Rio Meia Ponte permaneça nos 2.700 l/s, “não havendo motivação, nesse momento em que a seca e o calor se estendem, em aumentar o uso de água na bacia”. A nota diz que “é necessário e urgente evitar sacrifícios à sociedade por meio do racionamento e, eventualmente, até da suspensão das outorgas”.

A Semad conclama, ainda, os municípios de Goiânia e da região metropolitana a participarem de um “esforço comum para intensificar ações de fiscalização contra o desperdício em áreas urbanas, que não são de competência do Estado, com vistas a reduzir o consumo nas cidades”. De acordo com a nota, “se todos cooperarem, num grande ato solidário, com certeza atingiremos o objetivo de superar o período crítico da crise hídrica sem necessidade de racionamento ou adoção de medidas mais duras. Pedimos o apoio e a participação de todos”.

Por fim, Semad reitera o apelo à população “para que limite ao máximo o consumo de água e evite toda e qualquer forma de desperdício”. Ao concluir, a nota afirma que “cada família pode atuar também como um fiscal no seu bairro, por meio da conscientização de todos para que preserve esse bem essencial para a nossa vida”. Veja, abaixo, a íntegra da nota.

 Nota-Semad

A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) do Governo do Estado de Goiás informa que, em face do monitoramento contínuo da vazão do Rio Meia Ponte, constatou uma redução significativa neste final de semana, o que resultou em esforço adicional de captação de água da bacia, tanto por parte da Saneago (no limite da outorga) quanto de outros usuários (provavelmente em sua maioria fora dos limites da outorga).

Em razão disso, foram tomadas providências enérgicas para a retomada dos níveis de vazão que permitem manter a estabilização verificada nos últimos 23 dias.

Na manhã deste domingo (08/09), a vazão do Meia Ponte caiu para 2.324 litros por segundo, abaixo da média registrada desde 14 de agosto deste ano (2.700 l/s). A fiscalização foi intensificada, com a participação ativa das equipes da própria Semad e da Polícia Militar (PMGO).

A presença intensa das forças de fiscalização nesta manhã de domingo já refletiram positivamente, tanto é que ao meio-dia a vazão do Meia Ponte teve um início de recuperação e chegou a 2.887 l/s.

O Governo de Goiás, por meio da Semad, faz um veemente alerta aos produtores que utilizam irrigação para não efetuá-la durante o dia e atenderem estritamente aos limites da outorga reduzida em 50%. É preciso autorresponsabilidade de todos. Agir à margem da lei constitui infração e crime ambiental passível de severas punições.

A fiscalização continuará intensa e ainda mais rigorosa. Os que forem alcançados, com práticas irregulares, serão penalizados com o lacre e até apreensões de bombas.

As ações vão recrudescer para que a média da vazão do Rio Meia Ponte permaneça nos 2.700 l/s, não havendo motivação, nesse momento em que a seca e o calor se estendem, em aumentar o uso de água na bacia. É necessário e urgente evitar sacrifícios à sociedade por meio do racionamento e, eventualmente, até da suspensão das outorgas.

A Semad conclama, ainda, os municípios de Goiânia e da região metropolitana a participarem de um esforço comum para intensificar ações de fiscalização contra o desperdício em áreas urbanas, que não são de competência do Estado, com vistas a reduzir o consumo nas cidades. Se todos cooperarem, num grande ato solidário, com certeza atingiremos o objetivo de superar o período crítico da crise hídrica sem necessidade de racionamento ou adoção de medidas mais duras. Pedimos o apoio e a participação de todos.

Por fim, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) do Governo do Estado de Goiás reitera o apelo à população para que limite ao máximo o consumo de água e evite toda e qualquer forma de desperdício. Cada família pode atuar também como um fiscal no seu bairro, por meio da conscientização de todos para que preserve esse bem essencial para a nossa vida.

Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) do Governo do Estado de Goiás

 

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Legislação histórica de Goiás ganha destaque e novo espaço, que reúne os atos e documentos que marcaram a vida dos goianos em um só lugar

Em iniciativa inédita, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria da Casa Civil, passou a disponibilizar nesta quinta-feira, dia 12, um hotsite especial com conteúdo que destaca a legislação histórica do nosso Estado

Publicado

em

A Secretaria da Casa Civil do Governo de goiás lança um novo componente, elaborado em parceria pelas áreas de Tecnologia da Informação e de Legislação,  que concentra os atos oficiais que marcaram a formação institucional do Estado, o desenvolvimento e as mudanças sociais, possibilitando que os cidadãos conheçam as leis goianas a partir do ano de 1822.

Entre outros documentos, o novo ambiente concentra as cinco versões que já estiveram em vigor da Constituição Estadual de Goiás, as estruturas administrativas do Estado no passado e a criação e organização de comarcas judiciais. Atos que marcaram profundamente a história de Goiás, como o Código Criminal de 1901, os documentos oficiais para a edificação e transferência da capital para Goiânia e o desmembramento do Distrito Federal, também fazem parte da seleção de leis disponibilizada.

De acordo com o titular da pasta, secretário Anderson Máximo, a ação é parte do esforço da gestão, não só de oferecer maior transparência aos cidadãos, mas de valorizar as tradições e a caminhada que construiu a identidade do povo goiano. “Essa iniciativa vem oferecer aos goianos a possibilidade de revisitar a nossa história. É uma determinação do governador Ronaldo Caiado, de valorizar nossa goianidade, nossas raízes, e uma forma de preservar e dar visibilidade a atos oficiais que retratam momentos importantes de um passado que é de todos nós”, afirma o secretário, destacando que a Casa Civil tem trabalhado para se tornar a cada dia uma secretaria mais cidadã, mais próxima da sociedade.

Entre e conheça nossa Legislação Histórica.

Continue Lendo

Estado

Combatentes controlam incêndio noParque Estadual da Serra Dourada

Publicado

em

Por

Equipes utilizaram técnica de “contrafogo” para apagar focos da queimada que atingiu mais de 3,2 mil hectares do parque estadual entre Goiás, Buriti de Goiás e Mossâmedes

O Corpo de Bombeiros e as equipes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) conseguiram controlar o incêndio que atingia desde a última terça-feira (10/09) o Parque Estadual da Serra Dourada (PESD), localizado entre os municípios de Goiás, Buriti de Goiás e Mossâmedes. Mais de 40 combatentes participaram da operação.

Uma equipe irá pernoitar no alto da Serra Dourada para monitorar a situação durante a noite e dar sequência aos trabalhos de rescaldo. Os trabalhos de monitoramento permanecem durante todo o fim de semana. Segundo informações de combantentes e brigadistas, foi preciso usar o chamado “contrafogo” para combater os focos de incêndio.

Até o último cálculo feito pela Semad, o fogo havia consumido uma área superior a 3,2 mil hectares, em uma área de difícil acesso. Um novo balanço deve ser feito pelas equipes na manhã deste sábado (14/09), sob o comando de Maurício Jácomo, analista da Semad e chefe do parque, mas já é o maior incêndio em unidade de conservação estadual em 2019.

Um dos maiores patrimônios ecológicos do Estado de Goiás, o Parque Estadual da Serra Dourada possui uma área de 30 mil hectares, que concentram belezas naturais, cachoeiras e uma rica diversidade faunística e

Continue Lendo