Conecte-se conosco

Estado

Grupo pró-Caiado de emedebistas inicia movimento para vencer Daniel Vilela na próxima eleição para presidência

Discordância na linha de atuação de posicionamento ao futuro governo Ronaldo Caiado (DEM) em Goiás leva MDB a uma nova disputa de poder a partir de 2019

Publicado

em

Movimentações partindo de emedebistas ligados ao governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) indicam que há uma nova corrente de ideologia dentro do MDB-GO.

Reunião entre lideranças, na última terça (27), ocorreu para discutir os rumos do partido para os próximos anos.

Participaram da reunião o futuro senador Luiz Carlos do Carmo, Adib Elias e Nailton Oliveira – entre outros. O ex-presidente do partido Samuel Belchior não esteve presente no encontro, mas é notório que fará parte desta nova corrente que prepara agenda pelo interior do estado já dentro do primeiro trimestre de 2019.

Em pauta, retomada do partido com nova eleição para presidência. O grupo pretende se posicionar de forma distinta ao proposto por Daniel Vilela, atual presidente estadual do partido, que prega ampla oposição ao governo Caiado.

A pretensão da nova coalizão pró-Caiado dentro do MDB é de que o partido pode somar com a construção de um novo ciclo de desenvolvimento em Goiás, atuando de forma consistente para fortalecer municípios e regiões que ainda se encontram sob domínio político do partido.

FUNDO ELEITORAL

Entre os assuntos que terão prioridade nas futuras reuniões previstas, o de buscar um consenso e forma mais democrática na distribuição de verbas do fundo eleitoral ganha importância no debate interno diante de uma nova legislação eleitoral.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2020

O grupo da nova coalizão emedebista defende amplo diálogo com os filiados e busca nomes competitivos capazes de eleger prefeitos que tenham condições de atuar a favor de seus municípios em sintonia com o governo Caiado.

Em Aparecida de Goiânia, o grupo pode abrir conversas com nomes do partido dentro do próprio município que se encontram descontentes com uma suposta gestão centralizada nos interesses de Vilela.

Fontes ouvidas pelo GOYAZ garantem que Daniel intensifica contatos para se manter no poder do partido visando continuação de seu nome para o governo de Goiás em 2022.

Daniel já sinalizou que sua atuação será de oposição ao governo Caiado para se tornar uma voz dissonante no estado e obter um perfil cada vez mais oposicionista até 2022.

Uma possível candidatura para prefeitura de Aparecida em 2020 ainda não está totalmente descartada. A força e o prestígio dos Vilelas no segundo maior colégio eleitoral do estado permanece intacta e a importância deste reduto eleitoral é imprescindível para o plano do partido em voltar a ser protagonista nas eleições.

Em Goiânia, é certo que Iris Rezende deverá ser pressionado pelo partido a candidatar-se à reeleição, apesar da não manifestação deste assunto por parte do prefeito.

Iris deverá usar de suas prerrogativas de maior líder político do estado para pavimentar e implantar uma nova corrente filosófica para o fortalecimento do partido em Goiás.

CRÍTICAS

As críticas à Daniel Vilela começaram após a derrota e perda de capilaridade política do partido no estado. Só no executivo, Daniel esvaziou o MDB em aproximadamente 820 mil votos (Iris somou 1 milhão e trezentos mil votos, contra 479 mil votos do ex-deputado Daniel Vilela). O partido não conseguiu reeleger nenhum deputado federal.

“Queremos a integração desse grupo do MDB para fazer um diretório forte e também aumentar a integração do senador Luiz do Carmo, que vai assumir mandato em Brasília, com os prefeitos”, disse Nailton.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas