Conecte-se conosco

Capital

Iris Rezende vai à Câmara mostrar resultados da sua administração aos vereadores de Goiânia. Município subiu na avaliação do Tesouro Nacional

Números do último quadrimestre de 2018 mostram que a situação fiscal e financeira da Prefeitura de Goiânia melhoraram substancialmente e colocam o município em condições de investir em obras e melhorias para a população

Publicado

em

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende, vai à Câmara Municipal na manhã da próxima segunda-feira, 25, cumprir a determinação constitucional de apresentar os resultados da administração municipal referente ao último quadrimestre de 2018. A sessão na Câmara começará às 8:30h e será realizada no plenário da Casa.

Depois de dois anos de muitas dificuldades, sobretudo pelo rombo herdado da administração anterior, cujo montante superava R$ 600 milhões, além de um déficit mensal na ordem de R$ 31 milhões, Iris Rezende poderá mostrar aos vereadores um salto extremamente significante nas contas públicas da Prefeitura. Além do cumprimento, com folga, de todas as metas fiscais estabelecidas na LDO de 2018, o prefeito anunciará que Goiânia foi elevada a nota B por avaliação do Tesouro Nacional, o que devolve ao Município o direito de obter empréstimos com anuência da União.

Em 2018, movida por um intenso trabalho de melhoria da arrecadação e contenção de despesas, a Prefeitura de Goiânia conseguiu um superávit orçamentário (receitas-despesas) de R$ 346 milhões. Já o superávit primário, que é a diferença entre receitas primárias e despesas primárias, excluindo-se o pagamento de juros e amortização da dívida consolidada, atingiu R$ 148,1 milhões, algo em torno de 13 vezes a meta estabelecida na LDO, que era de R$ 11 milhões.

A Prefeitura teve, em 2018, uma evolução nominal da receita total de 6,64% em relação a 2017. Descontada a inflação do período, o aumento real foi de 2,79%. A arrecadação com impostos em 2018 foi de cerca de 19% maior do que a registrada em 2017. O Município superou os índices mínimos de aplicação na saúde e educação e gastou com pessoal cerca de 43% da Receita Corrente Líquida, quando o máximo permitido é de 54%.

Embora o reequilíbrio das contas públicas da Prefeitura de Goiânia tenha sido um trabalho silencioso, que pouca gente consegue enxergar sua importância para o futuro da cidade, o prefeito Iris Rezende diz que fez o que era necessário fazer e que a partir de agora a população começará a ver um novo ritmo de trabalho por toda cidade, com a entrega e lançamento de várias obras que são demandadas pelo povo goianiense.

“Levantar uma administração quebrada como a que recebemos não é fácil. Demanda tempo, coragem e muita responsabilidade. Fizemos o que tínhamos que fazer e chegamos agora ao começo de 2019 em condições de dar a Goiânia e ao seu povo as respostas que estão a esperar. Nunca tive medo, disposição não me faltou e não me faltará para fazer dessa gestão a maior de todas as minhas gestões à frente da Prefeitura de Goiânia”, frisou.

Mais lidas