Conecte-se conosco

Esportes

Revoltada com arbitragem, Chape pedirá anulação de jogo contra o Goiás

Plinio David de Nes Filho, o Maninho, reclama de pênalti marcado para o Esmeraldino e de expulsão de Bruno Pacheco

Publicado

em

mandatário da Chape reclamou de decisões da arbitragem — Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Derrotada por 3 a 1 para o Goiás na noite desta segunda-feira, a Chapecoense promete pedir a anulação do jogo. Em entrevista para a rádio Oeste Capital, ainda no Serra Dourada, o presidente Plinio David de Nes Filho, o Maninho, criticou a atuação da equipe de arbitragem e disse que entrará com o pedido de cancelamento.

Segundo o mandatário, as decisões na marcação do pênalti de Márcio Araújo em Léo Sena e a expulsão de Bruno Pacheco, no segundo tempo, foram erradas e prejudicaram a Chapecoense. Na visão de Maninho, houve despreparo e falta de competência da equipe comandada por Igor Benevenuto.

Uma arbitragem despreparada prejudicou a Chapecoense no pênalti que não existiu e depois ele deveria consultar o VAR no cartão vermelho, assim como foi com o Nikão, em São Paulo, quando anulou a expulsão. Vai ver que ele entrou na bola e pegou o jogador depois. Viria que merecia o cartão amarelo – disse o presidente.

“O futebol está comprometido pela falta de competência. Estamos solicitando o cancelamento da partida pelos erros que ocorreram aqui no jogo de hoje. Alguém tem que começar a tomar atitude.”

Com sete pontos, a Chapecoense está fora do Z-4, mas empatado em pontos com o Fortaleza, que abre a zona da degola. Na próxima rodada, a última antes da parada da Copa América, o Verdão recebe o Fluminense, na Arena Condá.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esportes

Goiás, Atlético e Vila: o desafio dos times goianos para a reta final

Publicado

em

Por

O ano de 2019 pode ficar marcado por dois rebaixamentos para futebol goiano com Vila e Goiás brigando para sair da degola. O Atlético vai bem e disputa o título, ponto a ponto, entre os três primeiros da Série B.

O vila respirou aliviado com vitória magra sobre a Ponte, com gol de pênalti de Alan Mineiro e vai encarar em casa amanhã (17) o Botafogo-SP. Com apenas 24 pontos o Tigrão ocupa a décima sexta posição, acima do Criciúma no Z-4 com 23.

O Goiás não venceu após o retorno da Copa América e tem a defesa mais vazada com 32 gols em 18 jogos. Com 21 pontos, em décimo quinto, o Verdão está há 3 pontos do Z-4, que tem o Cruzeiro, 28, na cabeça da lista

Goiás recebe o Fluminense no Serra Dourada, no domingo (22) as 19 horas.

Melhor time goiano em 2019, o Atlético empatou com líder Bragantino e consolidou posição do G-4 com 38 pontos é vice líder e sai para jogar fora contra o Criciúma, sexta feira dia 20.

Continue Lendo

Esportes

Alan Mineiro tira Vila Nova do Z-4 com gol da vitória contra Ponte Preta em Campinas

Publicado

em

Por

Em Campinas, Vila Nova supera Ponte Preta com pênalti polêmico

Alan Mineiro, aos 16 minutos do segundo tempo, fez o único gol da partida

Após uma vitória e um empate, a Ponte Preta manteve o ritmo oscilante na Série B do Campeonato Brasileiro e conheceu a primeira derrota sob o comando do técnico Gilson Kleina. Em pleno estádio Moisés Lucarelli, o time campineiro perdeu por 1 a 0 para o Vila Nova, em jogo válido pela 22.ª rodada, na noite desta quinta-feira. Alan Mineiro fez o único gol da partida, cobrando pênalti polêmico no segundo tempo.
O resultado mantém a Ponte distante do G4, agora em nono lugar, com 31 pontos, sob o risco de ver a distância aumentar ainda mais. Já o time goiano ganha três posições e consegue sair da zona de rebaixamento, ao menos provisoriamente, em 15.º lugar, com 24 pontos.

Essa foi a primeira vez que o Vila venceu uma partida dentro do Moisés Lucarelli. O tabu foi quebrado justamente no dia em que a equipe da casa jogava com o terceiro uniforme em comemoração pelos 71 anos de fundação do estádio, chamado carinhosamente de Majestoso.

Os primeiros minutos do jogo foram de domínio da Ponte Preta, que insistiu em jogadas pela esquerda, por onde conseguiu criar boas chances em investidas de Diego Renan. Em pouco menos de 15 minutos, dois bons cruzamentos do lateral levaram perigo à área adversária, mas Roger e Everton não acertaram na hora da conclusão e mandaram para fora.

Se a pontaria pontepretana não estava boa, o Vila Nova deu trabalho para Ivan logo na primeira finalização, apesar de ter demorado um pouco para criá-la. O goleiro fez grande defesa após chute de fora da área de Gastón, aos 15 minutos, e repetiu a dose após Alan Mineiro pegar o rebote. A bola ainda voltou para Alan tentar de novo e isolar a bola.

Depois disso, a Ponte não voltou a sofrer sustos, ao mesmo tempo em que teve dificuldades em achar espaços no ataque. Oportunidades foram criadas esporadicamente, em chutes de fora da área e cruzamentos, porém os mesmos não foram suficientes para que o goleiro Rafael Santos precisasse trabalhar.

Continue Lendo