Conecte-se conosco

Capital

Símbolo do art déco de Goiânia, Estação Ferroviária tem restauração concluída

Prefeito Iris Rezende entrega à população na próxima sexta (10) recuperação do edifício por meio de parceria com Governo Federal, iniciativa conduzida pelo Iphan. Investimentos somam R$ 5,87 milhões.

Publicado

em

Na intervenção realizada na Estação Ferroviária, mais do que a restauração arquitetônica do edifício, buscou-se transformar o espaço, permitindo que novos usos dinamizem a região, atraiam público e valorizem o estilo art déco - Foto: Paulo José/Secom

O prefeito Iris Rezende entrega à população, no dia 10 de maio, às 14h, a Estação Ferroviária totalmente restaurada por meio de parceria do município com o programa PAC Cidades Históricas, iniciativa do Governo Federal conduzido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia do Ministério da Cidadania. O edifício faz parte do acervo art déco de Goiânia.

As obras da Estação Ferroviária foram empreendidas nos últimos 17 meses, com recursos da ordem de R$ 5,87 milhões. A restauração encerra ciclo de investimentos no patrimônio cultural de Goiás, que soma valores de R$ 48,6 milhões e coloca o estado como o primeiro do país a concluir todas as construções do programa. A Prefeitura de Goiânia é proprietária e responsável pela manutenção e uso do espaço.

O prefeito Iris Rezende vai instalar no edifício um Centro de Atendimento ao Turista (CAT), a Gerência de Patrimônio Histórico, entre outros serviços da administração municipal. O prédio também volta a abrigar a Guarda Metropolitana e a Banda Municipal, e terá ainda um espaço dedicado a exposições para artistas goianos.

A cerimônia que marcará a entrega da restauração reunirá representantes dos governos federal, estadual e municipal. Estarão presentes o secretário de Difusão e Infraestrutura Cultural- Substituto do Ministério da Cidadania, Paulo Nakamura; a presidente do Iphan, Kátia Bogéa; o diretor do Departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida; a superintendente do Iphan-GO, Salma Saddi, entre outras autoridades.

Era ainda o início da década de 1950 quando a Maria Fumaça apitou pela primeira vez pelo centro de Goiânia, a recém construída capital de Goiás. As estradas de ferro que contam a rica história de ocupação e desenvolvimento do país não percorrem mais aqueles caminhos, mas cravada no coração da cidade ainda está a Estação Ferroviária, com os traços marcantes e detalhes que tão bem simbolizam o acervo art déco da capital.

Nos trilhos

Na intervenção realizada na Estação Ferroviária, mais do que a restauração arquitetônica do edifício, buscou-se a transformação do espaço, permitindo que novos usos dinamizem a região, atraindo público para o local, preservando a memória ferroviária e valorizando o estilo art déco – manifestação essencialmente decorativa, que inspirou os primeiros edifícios da capital, simbolizando o progresso e a modernidade. Todo o prédio passou por obras, recebendo novas instalações, a recuperação de toda a estrutura, como pisos e cobertura, além de nova pintura e disposição dos espaços.

Três elementos simbólicos do lugar também ganham destaque: a locomotiva, conhecida como Maria Fumaça, toda restaurada, foi realocada na plataforma de embarque para acesso e conhecimento do público; o tradicional relógio da torre foi recuperado e retomou seu funcionamento; e ainda, os dois painéis de Frei Confaloni, com os afrescos originais, um marco das artes plásticas em Goiás, também foram restaurados, com mais um valioso ganho para a cultura local. A obra permitiu a requalificação urbana de uma área ao redor da Estação Ferroviária, na Praça do Trabalhador, que recebeu pavimentação, novo paisagismo, iluminação e mobiliário, criando mais um espaço de convivência para a população.

PAC

A obra de restauração da Estação Ferroviária é a oitava ação a ser concluída pelo PAC Cidades Históricas em Goiás. Além dela, a Praça Cívica também passou por obra com recursos do programa e, na antiga capital do Estado, a cidade de Goiás, foram outras seis ações: a recuperação da Ponte da Cambaúba, as restaurações do Mercado Municipal, da sede da Prefeitura Municipal e da Escola de Artes Plásticas Veiga Valle, e as requalificações do Arquivo Diocesano e do Cine Teatro São Joaquim. Ao todo, foram R$ 48,6 milhões investidos no Estado, sendo R$ 30,3 milhões em Goiás e R$ 18,3 milhões em Goiânia. Assim, o Estado se destaca como pioneiro, com a conclusão de todas as obras do Programa.

O PAC Cidades Históricas é um avanço nas políticas culturais no país e vem sendo executado em 44 cidades de 20 estados brasileiros, totalizando uma previsão de investimentos de R$ 1,6 bilhão em obras em edifícios e espaços públicos. Conduzido pelo Iphan, a ação intergovernamental visa valorizar a cultura e promover o desenvolvimento econômico e social sustentável e a qualidade de vida dos cidadãos, por meio do Patrimônio Cultural.

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capital

Promotor Fernando Krebs será agraciado com a Comenda da Ordem do Mérito Anhanguera, a maior honraria concedida pelo Governo de Goiás

A solenidade de condecoração será realizada no próximo dia 25 de julho, durante a mudança da Capital para a Cidade de Goiás

Publicado

em

Por

O promotor de Justiça do Ministério Público de Goiás, titular da 57ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, Fernando Krebs, será agraciado com a Comenda da Ordem do Mérito Anhanguera, a maior honraria concedida pelo Governo de Goiás. A justificativa, segundo o Governo de Goiás, são os relevantes serviços prestados pelo promotor ao Estado. A solenidade de entrega da honraria está prevista para o próximo dia 25, na Cidade Goiás, quando acontece a transferência simbólica da Capital para aquela cidade.

A Ordem do Mérito Anhanguera foi criada em 1975, com a finalidade de agraciar pessoas físicas e corporações militares pelos relevantes serviços prestados, levando em consideração as ações e méritos excepcionais.

Fernando Krebs é gaúcho e está há 27 anos nos quadros do Ministério Público de Goiás. Iniciou sua carreira como promotor no interior do Estado e depois como promotor do Juri, em Goiânia, onde ficou por cerca de 10 anos. Há 14 anos está no patrimônio público e tem se notabilizado como um dos promotores mais atuantes do MP goiano.

Continue Lendo

Capital

Projeto Secretário na Escola fecha primeiro semestre com nove edições

Iniciativa da secretaria municipal de Educação e Esporte visa aproximação com comunidade escolar

Publicado

em

Por

Com a finalidade de desburocratizar serviços, a Prefeitura de Goiânia, por meio da secretaria municipal de Educação e Esporte (SME) realiza, ao longo do ano, o projeto Secretário na Escola, no qual a administração da pasta se desloca para instituições de ensino para ouvir demandas e resolver questões pertinentes a comunidade escolar diretamente com a população. No primeiro semestre de 2019, a secretaria realizou nove edições do programa, em escolas e centros municipais de Educação Infantil (Cmei) de diversas regiões da cidade.

Nos dias de projeto, o secretário de Educação e Esporte, professor Marcelo Costa, superintendentes, diretores e gerentes vão até uma unidade escolar escolhida para atender a diretores, professores, alunos e pais com demandas específicas da instituição. O projeto contempla atendimentos nas áreas de alimentação educacional, acompanhamento pedagógico, consultoria em esporte, gestão de pessoas, acompanhamento da rede física e consultoria para prestação de contas. Além disso, diretoras de escolas e Cmeis da região também são convidadas para despachar pessoalmente suas questões com o corpo diretivo da SME.

A primeira edição de 2019 foi na escola municipal Coronel José Viana Alves, localizada no setor Cândida de Morais. Na ocasião, o projeto realizou nove atendimentos com a comunidade escolar. Durante o semestre, o Secretário na Escola fez cerca de 80 atendimentos, entre demandas pessoais e institucionais. Uma das unidades contempladas foi a escola municipal de tempo integral Dona Belinha, na Vila Isaura, e a diretora Klícia Rayanne destacou que “esse contato é essencial, não temos tempo para sentar e dialogar na SME. Essas trocas são feitas justamente quando ele vem à escola”.

Continue Lendo