Conecte-se conosco

Estado

Sinopse da política em Goiás

Análise dos fatos políticos. Por Cloves Reges

Publicado

em

Marconistas na área

O deputado estadual, e agora deputado federal eleito, José Nelto (Podemos), fez um alerta à equipe de transição do governador eleito Ronaldo Caiado. Segundo o deputado, a comissão democrata estaria repleta de marconistas que, inclusive, apoiaram o tucano nestas eleições. “Uma transição que tem marconistas é questionável”, disse Nelto.

 

Chiadeira

Aliados de Ronaldo Caiado, governador eleito de Goiás, incluindo o próprio José Nelto, começam a demonstrar desconforto com a demora do democrata definir sua equipe. Alegam que os indicados para o primeiro escalão terão pouco tempo para definir a equipe e tomarem pé da situação. “Como as primeiras informações são de dificuldades em todas as áreas, o ideal seria que a equipe já estivesse confirmada, permitindo que o planejamento já estivesse sendo feito”, avalia um aliado.

 

Acha que não

O deputado federal Daniel Vilela (MDB), candidato derrotado nas eleições para governador, acha que Ronaldo Caiado não deve se envolver na questão de responsabilização daqueles que, supostamente, “faliram” o Estado de Goiás. De acordo com o emedebista, esse seria um papel que cabe ao Ministério Público e ao judiciário. “Ao Governador cabe apresentar soluções aos problemas!”, avalia.

 

Acha que sim

Já o promotor de Justiça Fernando Krebs, da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, do MP-GO, entende que entre as funções do governador que assume a partir de 1º de janeiro está a de apurar os rombos abertos nas contas públicas do Estado e apontar os responsáveis para que o próprio Ministério Público e a Justiça tenham condições de processar, julgar e punir os culpados, buscando, sobretudo, o ressarcimento ao erário dos valores supostamente desviados dos cofres públicos. “É inadmissível um Estado tão rico dever quase R$ 20 bilhões e viver em absoluto caos e abandono em áreas estratégicas e fundamentais”, pontua Fernando Krebs.

 

Cadê o dinheiro da Celg?

Segundo matéria divulgada na imprensa goiana, o Governo de Goiás teria pago apenas 32% dos convênios firmados com os municípios goianos dentro do programa Goiás na Frente. Na iminência do encerramento do programa, dos R$ 513,9 milhões de convênios firmados, apenas R$ 166,1 mihões foram efetivamente quitados. O programa, lançado em março do ano passado, tinha como meta investir 6,19 bilhões em obras e ações  até o final de 2018. Segundo o próprio Governo, todo o recurso da venda da Celg (cerca de R$ 800 milhões) seriam investidos no programa. Essa conta, portanto, não fecha.

 

Parque recuperado

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Agência Municipal do Meio Ambiente da Capital (AMMA), conclui hoje, 24, as obras de desassoreamento e construção da barreira de contenção no Parque Cascavel, localizado nas divisas dos setores Parque Amazônia e Jardim Atlântico, na região sudoeste da cidade. As obras se iniciaram no ano passado e, por determinação do prefeito Iris Rezende, tinham o objetivo de resolver de uma vez por todas a problemática que envolveu o Parque Cascavel nos últimos anos, já que as medidas tomadas até então não haviam sido suficientes para conter o assoreamento do lago.

 

 

Mais lidas