Conecte-se conosco

Estado

Vereador do DEM afirma que medidas tomadas por Caiado colocam ordem na casa

Para Paulo Daher, com apenas um mês de mandato, o Democrata já anunciou várias ações para reestruturar o Estado

Publicado

em

Dívida de R$ 3,4 bilhões e situação calamitosa das contas públicas: foi assim que o governador Ronaldo Caiado encontrou os cofres do Estado. Um dos maiores problemas enfrentados é a falta de dinheiro para o pagamento do salário dos servidores referente ao mês de dezembro, que deveria ter sido pago pelo ex-governador, José Eliton. Desde que assumiu a cadeira no Palácio das Esmeraldas, Caiado adotou medidas para resolver a situação e, principalmente, amenizar o sofrimento do servidor público estadual.

O governador cancelou a cobrança do Ipasgo no mês de dezembro, até que os servidores recebessem o salário de janeiro. A decisão se estendeu para contas da Saneago e juros em multas e taxas do Detran. Cargos e secretarias foram extintas para conter despesas.

Cumprindo uma de suas principais promessas de campanha, Caiado enviou para a Assembleia Legislativa o projeto de lei que extingue a 3ª classe de policiais e bombeiros militares, aumentando o salário da categoria. Além disso, propôs reestruturação para agentes e escrivães da Polícia Civil e agentes de segurança prisional. Determinou que policiais em funções administrativas fossem deslocados para o patrulhamento nas ruas, reforçando a segurança.

A equiparação de salários também chegou para os professores. Para os funcionários públicos que ganham até R$ 5 mil, o governo anunciou a volta do auxílio alimentação no valor de R$ 500,00. A retirada dos radares móveis das rodovias estaduais, uma medida muito aguardada, também foi uma importante promessa de Caiado. A decisão, anunciada pelo presidente da Goinfra (ex Agetop), Enio Caiado, foi tomada para, segundo os governantes, acabar com a indústria da multa que havia sido instaurada pelos últimos governos em Goiás.

Caiado anunciou que vai abrir mão do próprio salário, no valor de R$25 mil mensais, até que os salários do de dezembro sejam quitados. Antes, o governador já havia doado carros de luxo, que seriam usados no seu transporte pessoal e da primeira dama, para serem leiloados e o dinheiro destinado ao Hospital Materno Infantil.

“É evidente que o cenário é preocupante. O governo ainda tem muito o que fazer para organizar a Casa. Em situações como essa, algumas medidas são vistas como impopulares, mas quando os resultados vêm é que percebemos o quanto elas eram necessárias. Em um mês se mostrou atuante e fez o que pode para amenizar a situação. O Governador assumiu um Estado em crise, mas tem trabalhado duro para resgatar Goiás e devolvê-lo aos goianos”, avalia o vereador Dr. Paulo Daher (DEM), aliado de primeira hora do governador Ronaldo Caiado.

Mais lidas